5 de set de 2008

tratado Dalí

a vidA dorMiu nossa dimensão se contorcEu num sonho deseSperado e a última chama de consciêNcia pariu um nOvo nível de compreensão neSse novo mundo a razão é um velho cego e a noção de tempo é tão frágil quanto o relógiO da recém existência

8 Comments:

Jéssica Torres said...

[Quanta diferença fazem virgulas e pontos]
Eu não sei nem o que comentar, tô aqui tentando entender o sentido por trás dessas letras saltando na minha frente.
A maioria dos blogs são tão faceis de comentar, o teu me pegou de surpresa. Um estimulo a mais pra ficar de olho nesse elefante

KaKa Fuinha said...

adorei. alem do texto ser bem escrito tem todo esse visual da poesia modernista. perfeito
:D

da uma passada no meu blog
http://blogdatolinha.blogspot.com/

NerdMan! said...

muito bom o texto, mas meio confuso...

Georgio Rios said...

Irealidad, muchas cosas,adelante.Es una creación muy buena, mi caro Ricardo.Siguiendo es el orden de esto blog!!!!

Felipe Felix said...

Um elefante meio punhal, meio... ...elefante.
Frases criativas e palavras saltantes que parecem que vão siar da tela. Surrealista.
Mal posso esperar para ver mais elefantes.

Caio Rudá said...

Apesar de a priori não fazer muito sentido pra mim, há algo de excitante na concatenação das palavras, como se a lógica fosse mero acaso e o acaso das palavras o grande trunfo.

fabiana said...

faz sentido sim - é preciso novo olhar, que passa além da razão.
Tic tac tic tac
já não é sem hora.

Show.

alexandre coutinho said...

e é das e nas ruínas que inventamos nosso mundo. vou passear mais por aqui.